.

Reunião nesta quarta (30) define se clássico CSA x CRB terá torcida visitante no Rei Pelé
29/03/2022 18:39 em Esporte

Nesta quarta-feira (30), a Federação Alagoana de Futebol (FAF) se reunirá com dirigentes de CSA e CRB e da Polícia Militar para definir, dentre toda a logística com segurança e distribuição dos ingressos, se haverá a presença da torcida visitante nos clássicos programados para os dias 2 e 6 de abril, ambos às 17 horas, no Trapichão, válidos pelas semifinais (jogos de ida e de volta) do Alagoano de 2022.A preocupação com a aglomeração de torcedores na praça esportiva surge, também, no momento em que, recentemente, um grande pedaço de reboco da arquibancada alta que fica do lado do placar eletrônico desabou na parte de baixo, durante a partida entre CSA e Sport, pela Copa do Nordeste. A sorte foi que no setor de baixo não havia ninguém, pois estava interditado. Além disso, em outro episódio, duas torcedoras se feriram, após uma grade das grandes arquibancadas do estádio se soltar durante o momento da comemoração dos gols do Azulão sobre o Paysandu, desta vez em jogo pela Copa do Brasil.Mas, conforme notas emitidas pela Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude (Selaj) divulgadas na semana passada, os problemas dos beirais (rebocos) eram apenas estéticos e foram todos retirados no dia seguinte, dia 23, uma quarta-feira, após o duelo entre o Azulão e o Leão. Já a queda da grade de ferro, segundo avaliou a secretaria, teria sido provocada pelo sobrepeso dos torcedores.

Em contato com a SITE, o presidente do CRB, Mário Marroquim, apoiou claramente a presença do público visitante, afirmando que, se há alguma preocupação atual, ela parte dos policiais sobre a segurança das torcidas. "Somos totalmente favoráveis à possibilidade de presença visitante no Rei Pelé. Quem está trabalhando contra isso aí, criando uma tempestade em copo d'água, é a Polícia Militar. E não acho que temos problemas estruturais", disse Marroquim.O presidente do CSA, Omar Coelho, também emitiu a mesma opinião, mas não deixou de reconhecer a necessidade de as equipes brigarem por uma nova arena, para que a torcida e os sócios sigam apoiando.

 

"É uma coisa que nos preocupa. O Rei Pelé, com seus mais de 50 anos, é um aparelho desgastado pelo tempo e pela maresia, além de não ter sido bem cuidado ao longo desses anos. O atual governo investiu, trazendo de volta as cadeiras do piso e agora a liberação de toda área que estava comprometida, apesar de isso tudo ter sido um paliativo. Sabemos de sua difícil situação, mas os laudos técnicos e da Selaj dão pela regularidade", completou.

 
COMENTÁRIOS