uni

Em jogo de dois pênaltis, Jaciobá e Murici ficam no empate de 2 a 2
10/02/2020 10:23 em Esporte

outro jogo pelo Campeonato Alagoano, na tarde deste domingo (9), também pela terceira rodada, foi entre Jaciobá e Murici, no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios. E não houve vencedor. O placar ficou mesmo no 2 a 2. 

Luciano e Jhonny (de pênalti) marcaram para o Jaciobá, um em cada tempo. E o Murici diminuiu com Etinho, de pênalti, aos 41 minutos do segundo tempo, e empatou com Léo Mineiro, aos 46 minutos, também da etapa final. 

 

O Jaciobá agora soma dois pontos e fica na 6ª posição na tabela de classificação. E o Murici segue na vice-liderança, agora com cinco pontos conquistados.

Aos 19 minutos do primeiro tempo, o Murici teve uma grande chance de abrir o placar, com Bicudo, cobrando um pênalti. Mas ele bateu em cima do goleiro que, no rebote, isolou.

O time alviverde era melhor em campo e teve várias oportunidades, mas errava nas finalizações. E como diz o ditado 'quem não faz leva', o Murici levou, pois, aos 37 minutos, o Jaciobá abriu o placar, com Luciano: 1 a 0.

 

Jogadores do Jaciobá comemoram o segundo gol da equipe, assinalado por Jhonny

FOTO: JAILSON COLÁCIO/ASCOM MURICI

No segundo tempo, o Jaciobá ampliou o placar, logo aos 2 minutos de bola rolando. Jhonny, cobrou uma penalidade e converteu: 2 a 0.

 

Também no segundo tempo, o Murici fez os seus dois gols, deixando tudo igual no Juca Sampaio. O primeiro foi de Etinho, aos 41 minutos, de pênalti; e o segundo foi assinalado por Léo Mineiro, aos 46 minutos. Placar final: 2 a 2.  

O Jaciobá do técnico Edilson dos Santos começou a partida com a seguinte formação: Emanuel; Lucas Rocha, Nilton, Léo Rito e Wellington; Renilson, Keilo, Douglas e Joelton; Jhony e Luciano.

Já o Murici de Elenilson Santos, entrou em campo com os 11 titulares: Rodrigo Dias; Carlos Alberto, Joaquim, Adauto e Bicudo; Rambo, Vitor Hugo, Rodrigo Murici e Gleisinho; Etinho e Deizinho.

 

O arbitro da partida foi Gleiton Lins Vieira (FAF), auxiliado por Maria de Fátima Mendonça (CBF/AL) e Carlos Vinícius Cavalcante (FAF).

COMENTÁRIOS