uni

Novo coronavírus: a situação da arbitragem de AL com a pausa dos campeonatos
30/03/2020 08:08 em ALAGOAS

Ame ou odeie os árbitros, mas eles são figuras centrais em qualquer partida, até mais que os próprios atletas. Um erro pode ocasionar um resultado adverso para um dos clubes e a alegria de outro. Contudo, diferentemente dos clubes e dos atletas, que têm suas receitas "fixas", entrando ou não em campo, o árbitro recebe por partida. E com a falta de campeonatos, a renda dos profissionais do apito fica em um déficit difícil de ser preenchido com tudo parado.

O novo coronavírus chegou para ficar, pelo menos por enquanto. O mundo todo está parado e, com o futebol, não é diferente. Todos os campeonatos estaduais, regionais e nacionais aderiram à paralisação para evitar a propagação da doença.

 

Em entrevista à SITE, o árbitro alagoano Francisco Carlos Nascimento, o Chicão, comentou como está sendo este período de paralisação para a arbitragem. "O presidente da Comissão de Arbitragem, Charles Hebert, junto do vice, George Alves Feitosa, e da secretária-geral, Lydia Pollyana, estão trabalhando com o presidente da Federação Alagoana de Futebol (FAF), Felipe Feijó, para possibilitar a melhor forma de resolver a situação dos árbitros", disse.

Ele também chegou a comentar o posicionamento da CBF: "O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, tem se comunicado conosco constantemente, inclusive sobre os pilares da arbitragem, nos passando tranquilidade sobre a busca de soluções para os árbitros."

Já para a árbitro assistente Brígida Cirilo, a questão financeira, de não depender da renda dos jogos, é um tanto mais fácil por ser professora de Educação Física na rede estadual de ensino. Os jogos são uma maneira de complementar a renda. 

Com as "férias" forçadas devido à proliferação do coronavírus, igualmente aos jogadores, os árbitros e bandeirinhas estão em casa de quarentena, esperando algum sinal positivo para que possam voltar a campo e exercer a profissão. Porém, enquanto aguardam a volta, os juízes procuram também manter a forma física. "Estamos realizando treinamentos em casa. Nosso preparador físico, Luigi Alpino, nos manda todos os dias o nosso treinamento para que possamos manter a forma física. E estamos seguindo a cartilha do professor", disse Chicão.

Brígida, assim como Chicão, passou a treinar em casa com as cartilhas passadas pelo preparador físico Luigi Alpino. A árbitro assistente é ativa nas redes sociais, onde mostra como é seu treinamento de forma adaptada para seus seguidores.

Ainda de acordo com Chicão, o presidente da Associação Nacional de Arbitragem de Futebol (ANAF), Salmo Valentim, "está buscando uma solução, junto à CBF, para nosso presente e futuro."

COMENTÁRIOS